terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Zé Ramalho Faz interferência em CD

"Estação Brasil". Este é o nome do disco que comemora 25 anos de carreira do músico Zé Rama­lho e também do show que será apresentado sábado, em Taubaté.
No disco, o 17 solo de Ramalho, o músico recria, inusitadamente, clássicos de Tom Jobim, como "Águas de Março", Lulu Santos, em "Tempos Modernos", e Mil­ton Nascimento, com "Caçador de Mim", entre outros nomes da música brasileira. Até mesmo Gonzaguinha foi lembrado, na canção "O que É, O que É".
Inéditas também compõem o disco, como "Neste Brasil Cabôco de Mãe Preta e Pai João", de auto­ria do próprio músico, que busca traçar o ponto de partida da músi­ca brasileira.
"Malandragem Dá um Tempo", música de Bezerra da Silva que foi percussionista da banda de Ra­malho, nos anos 70, resgata o bom samba, com um pouco do tempe­ro nordestino.
A mistura de samba, bossa-no-va, MPB e pop soa natural e de bom gosto no disco de Ramalho. Mesmo o hit "Não Quero Dinhei­ro", que Trm Maia lançou em 1971, ganha cara nova no álbum do músico nordestino.
Ramalho, que já gravou canções de grandes nomes da MPB, como Chico Buarque e Paulinho da Vio­la, traz em "Estação Brasil" uma homenagem a todos os músicos brasileiros. Das 20 músicas que compõem o álbum, 15 são can­ções repaginadas da MPB e so­mente cinco são de autoria de Ra­malho. Da guitarra ao iê-iê-iê, dos tambores do mangue beat ao vio­lão da bossa-nova, são muitos os estilos visitados por Ramalho nes­se disco.
Carreira
Compositor e intérprete conhe­cido pelo caráter nordestino, o paraibano Zé Ramalho só come­çou a pesquisar este estilo quando tinha 20 anos. Até então suas maiores influências eram o rock dos Beatles e dos Rolling Stones.
O músico começou a carreira ao lado de Alceu Valença e Geraldo Azevedo, com os quais fez vários trabalhos ao longo da carreira.
O músico despontou no cenário nacional em meados dos anos 70, quando Ramalho se mudou para o Rio de Janeiro, onde Vanusa gravou sua primeira composição de sucesso, "Avôhai".
Fonte:
Jornal "Folha de São Paulo" em 12 de Julho de 2003.
Acêrvo Zé Ramalho da Paraíba.

Um comentário:

  1. Gostei! obrigado Rivanildo...
    abração! que bom que vc voltou..

    ResponderExcluir