sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012 Pra Toda Nação ZéRamalheana!!!



Amigos, mais um ano está indo embora, foram dias de vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, foram momentos diversos em nossas vidas nesse 2011.

2012 aproxima-se, e com ele a esperança de tempos melhores que com certeza virão!!!

Estava um pouco sem tempo para atualizar este blog, coisa que agora voltará ao normal. Quero agradecer a força dos amigos que sempre visitam esta página, fico muito feliz com as mensagens recebidas e podem ter certeza que isso me dar ainda mais forças pra continuar a percorrer esse caminho, caminho de exaltação à obra do grande mestre Avôhai.

A cada dia me torno mais admirador desse grande profeta da MPB, e fico feliz quando vejo pessoas começando a percorrer esse mesmo caminho.

2012 vem aí trazendo um novo CD recheado de mensagens inéditas e proféticas vindas da cabeça desse grande cantador!

No mais, um forte abraço, muita paz, saúde e alegria pra todos, pois como diz o grande mestre Zé Ramalho:

"Toda pessoa merece felicidade
Uma vontade danada de bem viver
O mundo é bom quando se for entender
Que tudo vinga quando se pode querer"

Nildo Alexandrino.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Zé Ramalho agrada público com antigos sucessos e releitura de Raul

Zé Ramalho fez um show no Country Club, em Valinhos, na madrugada deste sábado (24) com músicas conhecidas de seu repertório. Acompanhado da Banda “Z”, o músico paraibano abriu o show às 0h34 com "O Que É, O Que É?", a canção de Gonzaguinha marcada pelos versos famosos "Eu fico com a pureza da resposta das crianças/É a vida/É bonita e é bonita". Veja galeria de fotos do show

Como na apresentação feita no segundo dia do festival SWU, em Paulínia, ele deixou de priorizar seu trabalho mais recente, de regravações dos Beatles. No set list, Ramalho fez um passeio pelos principais sucessos da sua carreira, trazendo no repertório novos arranjos para músicas como “Avohai”,“Chão de Giz”, “Beira-Mar”, “Eternas Ondas”, “Garoto de Aluguel”, “Vila do Sossego” e “Banquete de Signos”, entre outros. Além dos hits concebidos ao longo da trajetória, Zé Ramalho fez algumas releituras de músicas de Raul Seixas, amigos nos anos 80, e Geraldo Vandré já gravadas por Zé, como “Eu Nasci a Dez mil Anos Atrás” e “Caminhando”.

A versão acelerada do "Frevo Mulher” foi um dos pontos mais animados, em que o público aproveitou para dançar. Com muita disposição, “o povo marcado” acompanhou em coro "Admirável Gado Novo", música que alcançou o topo das paradas de sucesso depois de ser incluída na trilha de “O Rei do Gado”.

Fonte: EPTV.COM

sábado, 24 de dezembro de 2011

Elba e Zé Ramalho na Nova Tambaú FM

Neste Sábado ao meio- dia e as 7 da noite a Nova Tambaú FM trás Zé Ramalho e Elba Ramalho no Especial de Sábado.

Toda a mistura de elementos e sonoridades da cultura nordestina, mitologia grega, jovem guarda, rock, entre outras influências de Zé Ramalho mais o timbre e performance eletrizante e inconfundível de Elba Ramalho juntos neste Especial de Sábado.


Clique Aqui Confira!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Zé Ramalho em João Pessoa dia 21 de janeiro de 2012

A Música Popular Brasileira (MPB) toma conta da casa de shows Domus Hall no dia 21 de janeiro às 22h. O cantor paraibano Zé Ramalho volta a se apresentar em sua terra natal para relembrar muitos sucessos junto com seus fãs.

Os ingressos já podem ser adquiridos na bilheteria da Domus ou no site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br).

Fonte: Faro Klickpb

sábado, 17 de dezembro de 2011

ZÉ RAMALHO SE APRESENTARÁ EM VALINHOS



No dia 23 de dezembro, sexta-feira, um dos maiores nomes da MPB, Zé Ramalho, se apresenta no Country Clube em Valinhos. A tour 2011 traz Zé Ramalho revisitando alguns de seus maiores êxitos que venderam milhões de discos, mantendo o respeito da crítica especializada, em rara unanimidade. “Avohai, Frevo Mulher, Admirável Gado Novo, Chão de Giz, Beira-Mar, Eternas Ondas, Garoto de Aluguel, Vila do Sossego e Banquete de Signos” são apenas algumas das inúmeras pérolas que Zé Ramalho lançou e riscam o Brasil de Norte a Sul, derrubando fronteiras e provando que a grande música é universal. Todas estão presentes no novo show, que traz ainda releituras de Raul Seixas e Geraldo Vandré já gravadas por Zé, como “Eu Nasci a Dez mil Anos Atrás” e “Caminhando”, entre outras surpresas, que se encontram no seu mais novo lançamento,“A Caixa de Pandora” .

Fonte: SHOWS CAMPINAS

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Zé Ramalho é atração em Novo Hamburgo no dia 14



No dia 14 de dezembro, às 21 horas, o cantor Zé Ramalho faz o show Zé Ramalho & Banda Z, no Teatro Feevale. O set list do cantor paraibano revisita seus grandes sucessos, como Chão de Giz, Admirável Gado Novo e Meu Cariri. O repertório formado por 20 canções é interpretado pelo cantor e pela Banda Z, formada pelos músicos Chico Guedes (contrabaixo), Zé Gomes (percussão), Dodô de Moraes (teclados), Edu Constant (bateria) e Toti Cavalcanti (sopros).

Para assistir

Ingressos: Frisa a 80 reais, balcão nobre a 100 reais, plateia a 120 reais e camarote a 200 reais.Titular do Cartão do Assinante Jornal NH tem 50% de desconto nos primeiros 100 ingressos; titular e acompanhante do Cartão do Assinante Jornal NH têm 10% de desconto nos demais ingressos. Estudante/Professor Feevale e acompanhante têm 10% de desconto Pontos de Vendas: Bourbon Shopping Novo Hamburgo, de segunda a sábado, das 13 às 20 horas; Centro de Convivência Feevale, no Câmpus 2 (2º andar), de segunda a sexta-feira, das 13 às 21 horas; Bilheteria do Teatro Bourbon Country, em Porto Alegre, de segunda a sábado, das 14 às 22 horas e domingos e feriados, das 14 às 20 horas; e Telentrega Ingresso Show pelos telefones (51) 8401-0555 ou 3299-0800, de segunda a sexta, das 9 às 19 horas

Fonte: jornalnh.com.br

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

POSTAGENS

Pessoal peço perdão pela demora nas postagens, é que o negócio ta meio corrido por aqui.

Amigo Ivonilson, logo postarei sua foto com o mestre!!! Ô privilégio parceiro!!!

No mais um forte abraço à todos que fazem parte dessa massa.

Rivanildo.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Zé Ramalho participou da Festa do Prêmio Craque do Brasileirão 2011

Paula Fernandes e Zé Ramalho cantam no evento da CBF.

O Prêmio Craque do Brasileirão 2011, que aconteceu na noite desta segunda-feira (5) no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, teve a presença dos cantores Zé Ramalho e Paula Fernandes, a modelo Mariana Weickert, o músico Nando Reis e o cartunista Mauricio de Sousa. Luciano Huck, que pouco antes esteve na noite de autógrafos de Boni, Tiago Leifert e Glenda Kozlowski foram os apresentadores da noite. O fenômeno Ronaldo e sua mulher, Bia Antony também estiveram presentes.

CLIQUE AQUI E ASSISTA!!!

Fonte: ofuxico.com.br

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Teatro anuncia show de Zé Ramalho em Natal

"O Teatro Riachuelo anunciou nesta terça-feira (29) que o cantor Zé Ramalho fará show em Natal em Janeiro. A apresentação está prevista para acontecer no dia 20, a partir das 21h.

Os ingressos custarão R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia). Eles são vendidos na bilheteria do teatro."
Diário de Natal em 29/11/2011

Pessoal vibrei muito quando soube que o Zé estará fazendo show em Natal, pois apesar da distância, ( mais de 400 km ) da minha cidade, com certeza iria. Mas fiquei desanimado quando vi o preço do ingresso (140,00)!!!.

Nós fãs, sabemos que todo dinheiro do mundo é pouco para estarmos perto do nosso ídolo, mas nem sempre a grana está sobrando!!!

Por isso acho que os responsaveis pela contratação do evento exageraram um pouco no preço.

Mas é isso!!!
Vamos vêr o que podemos fazer, afinal não é todo ano que o Zé Ramalho está em Natal.

Show Zé Ramalho no Theatro Guarany em Pelotas-RS


Um ano depois de ter feito um show em grande estilo e com o Theatro Guarany lotado Zé Ramalho volta a Pelotas para o show de fim de ano da Conexão VPI. Zé Ramalho nasceu em Estelita Torres Ramalho, professora de escola primária, e Antônio de Pádua Pordeus Ramalho, a Seresta performer. Quando ele tinha dois anos, o pai afogado em um reservatório do sertão, e foi então adotado por seu avô. Seu amor por seu avô, mais tarde, ser expressa na canção “Avohai”. Depois de passar a maior parte de sua infância em Campina Grande , sua família mudou-se para João Pessoa. Assim como a família se estabeleceu em João Pessoa, ele participou de algumas Jovem Guarda performances, sendo influenciada por Renato Barros, Leno e Lílian, Roberto Carlos e Erasmo Carlos, Golden Boys, The Rolling Stones, Pink Floyd e Bob Dylan.

Em 2003, ele lançou seu álbum XVIII, Estação Brasil , contendo 19 gravações de suas principais influências brasileiras, e uma nova canção. Ele apareceu como convidado na música Sinônimos (“Sinônimos”), de Chitãozinho & Xororó do álbum, Aqui o Sistema É Bruto (“Aqui, o sistema é brutal”). Em 2005, gravou seu único álbum ao vivo, simplesmente intitulado Zé Ramalho ao vivo. Seu último álbum, Parceria dos Viajantes, foi gravado em 2007 e foi nomeado para o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. Em 2008, ele lançou uma compilação de raridades chamado Zé Ramalho da Paraíba , seguida por outra capa do álbum: Zé Ramalho canta Bob Dylan – Tá Tudo Mudando, um tributo ao músico norte-americano. Em 2009, um álbum de covers em terceiro lugar, “Zé Ramalho Canta Luiz Gonzaga”, foi lançado, em homenagem ao músico brasileiro .

Local: Theatro Guarany
Data: 15/12/2012 (quinta-feira)
Preço: R$ 130,00
Venda: Lojas Vivo ou on line http://www.byticketingressos.com.br
Classificação: 12 anos
Observações: Meia entrada somente para portadores de documentos com foto. Não serão aceitos comprovantes de matrícula!

Fonte: e-cult mídia ativa

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

FORÇA NORDESTINA: ZÉ RAMALHO COMPLETA 35 ANOS DE CARREIRA.

Cantor conta suas histórias a O FLUMINENSE e promete lançar um disco de inéditas. Seu trabalho mais recente é "Zé Ramalho canta Beatles" lançado em agosto desse ano.

Ele tem um gosto musical bastante eclético, mas refinado. Já homenageou os Beatles, Bob Dylan, Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. Todas essas influências resultaram na música de caráter nordestino do paraibano Zé Ramalho. Filho de Estelita Torres Ramalho, uma professora do ensino fundamental, e Antônio de Pádua Pordeus Ramalho, um seresteiro, sua família esperava que ele se formasse em Medicina, mas sua veia artística falou mais alto, tanto que, no próximo ano, ele completa 35 anos de carreira e promete lançar um disco de inéditas.

Ainda na Paraíba, Zé Ramalho conheceu Alceu Valença e Geraldo Azevedo, com quem começou a fazer música. Mudou-se para o Rio de Janeiro em meados dos anos 70, onde Vanusa gravou sua primeira composição de sucesso, Avorai. Seu primeiro disco solo e homônimo foi lançado em 1978, e, partir daí, passou a usar mais da fusão entre a música nordestina, o rock e o pop, sendo também reconhecido como poeta e letrista. Não parou mais. De 1981 a 87 lançou um álbum por ano, incluindo os sucessos A Terceira Lâmina, Força Verde, Dança das Luzes, Desejo de Mouro e Mary Mar.

Na segunda metade da década de 90, além dos CDs inéditos Frevoador e Cidades e Lendas, lançou Antologia Acústica, em 1997, e dois volumes de O Grande Encontro, ao lado de Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo. Lança, em 2000, o disco Nação Nordestina, uma homenagem às personalidades nordestinas brasileiras. O álbum recebeu, no ano seguinte, uma indicação ao Grammy Latino como melhor disco de música regional. Em 2001, o artista lança o CD Zé Ramalho canta Raul Seixas, projeto que vinha amadurecendo há tempos.

Em 2002, a Som Livre lança um disco de grandes sucessos chamado Perfil, parte da série Perfil. Nesse mesmo ano, veio o décimo sétimo álbum, O Gosto da Criação. Em 2003, Estação Brasil, um álbum com várias regravações de canções brasileiras.

Em 2005, gravou Zé Ramalho ao vivo. Seu mais recente álbum de inéditas, Parceria dos Viajantes, foi lançado em 2007 e indicado para o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. Em 2008, um disco de raridades chamado Zé Ramalho da Paraíba foi lançado pelo selo Discobertas. Em seguida, veio Zé Ramalho canta Bob Dylan - Tá tudo mudando, uma homenagem ao cantor americano.

Em 2009, faz outro tributo em Zé Ramalho canta Luiz Gonzaga. Em 2010, continuou homenageando suas influências com o álbum Zé Ramalho canta Jackson do Pandeiro. Seu trabalho mais recente é Zé Ramalho canta Beatles, lançado em agosto de 2011. A seguir, o cantor fala um pouco mais sobre sua trajetória e seus próximos projetos.

Como é se apresentar no Rio de Janeiro? O público é diferente ou isso não existe? Faz algum ritual antes de subir ao palco?
Se apresentar no Rio de Janeiro não é como se apresentar em qualquer palco do Brasil, em termos de casas de shows. Apesar de eu morar há 30 anos no Rio de Janeiro, me sinto motivado diferentemente de outros palcos, para me apresentar nesta cidade. Quanto ao ritual, nada mais do que silêncio, concentração e só.

Recentemente você lançou “Zé Ramalho canta Beatles”, o que esse quarteto representa para você?
Inspiração, que também inspirou milhares de outros artistas em todo mundo. No meu caso, consegui externar todo o meu conhecimento da obra desse grande grupo.

O CD/DVD “Zé Ramalho canta Bob Dylan”, recebeu indicação ao Grammy Latino, na categoria melhor disco de rock. Como foi receber essa notícia e o que Bob Dylan representa na sua vida?
É sempre uma surpresa agradável ver um trabalho que eu realizei se destacar internacionalmente de outros tantos. Dylan tem a mesma importância que os Beatles no meu aprendizado musical, ao lado de Gonzagão e Jackson do Pandeiro.

Você também homenageou Jackson do Pandeiro, Raul Seixas e Luiz Gonzaga. Pensa em fazer mais algum tributo? De onde veio a ideia de homenagear esses músicos?
Eu não faço covers. Cover é fácil fazer. Eu recrio a obra desses artistas, do meu jeito, sob meu ângulo e da minha capacidade musical. A ideia dessas homenagens é mostrar esses grandes artistas, que me influenciaram tanto na minha formação musical. Poderão vir outros discos dessa série “Zé Ramalho canta”. No momento estou preparando um disco de músicas inéditas, para lançar em 2012.

Além de artistas que você gosta e já homenageou, seu trabalho também tem elementos da mitologia grega. Tem alguma história mitológica que mais gosta? De onde vem seu fascínio por essas histórias?
Desde garoto que me atraio pela mitologia grega, através de filmes, livros e revistas. Ao lado de outras leituras, a mitologia grega é cheia de surrealismo e absurdas situações, na relação entre deuses e mortais. Misturei tudo isso com Bíblia, psicanálise e psicodelismo. Ao mesmo tempo, juntei o universo absurdo de Zé Limeira e é daí que vem a minha formação poético-musical. Não tenho história predileta, porque na mitologia, qualquer história é pitoresca.

Tem algum momento de sua trajetória que mais te marcou? E tem algum outro momento que gostaria de esquecer?
São 35 anos de carreira que vou fazer em 2012, partindo do meu primeiro disco solo, lançado em 1977. Tudo que aconteceu valeu a pena, como diria o poeta lusitano Fernando Pessoa, “desde que a alma não seja pequena”.

De onde surgem suas inspirações e como é seu processo de composição musical?

A inspiração vem de qualquer experiência diária ou que chegue no meu pensamento e, com o passar dos anos, a prática fica sob meu controle. Até virar música, letra e poesia, é uma questão de tempo e qualquer motivo pode ser uma inspiração.

Tem algum sonho profissional e pessoal para realizar?

Acho que não. Tudo que eu realizei foi com muito trabalho, perseverança e nunca desisti. Se vier alguma surpresa no futuro, não será porque sonhei.

Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

NOTÍCIA SOBRE O SHOW CANCELADO EM ALMENARA-MG

O produtor do show de Zé Ramalho que foi cancelado recentemente em Almenara-MG concede entrevista sobre o motivo da não realização do show:

"Almenara: Produtor do show de Zé Ramalho concede entrevista"


Jackson Martins concede entrevista sobre o adiamento do show de Zé Ramalho e Banda.

No último sábado 19/11, após a forte chuva, milhares de pessoas que compraram o ingresso e mesas aguardavam na quadra do SESC LACES de Almenara o show de Zé Ramalho e sua banda quando foram surpreendidas com o informação do produtor do evento que o show tinha sido adiado por problemas técnicos. Preocupado em esclarecer os fatos ao público que pagou pelo show, o produtor Jackson Martins procurou a nossa redação e concedeu uma entrevista exclusiva. Confira:

Diário do Jequi: Jackson Martins, por que o show de Zé Ramalho não aconteceu?

Jackson Martins: No último sábado(19/11) , poucas horas antes do show de Zé Ramalho, tivemos um volume muito alto de chuva, e isso ocasionou um curto circuito no gerador. Ficamos sem energia suficiente para realizarmos o show. È importante dizer que o show não foi cancelado, na verdade o show foi adiado devido problemas técnicos, e não por falta de pagamento, para confirmar isso , no sábado pela tarde apresentamos ao gerente do SESC, o Sr Delber Soares, todos os comprovantes de deposito feito a Gerimun Produções, empresa que comercializa o show de Zé Ramalho.

Diário do Jequi: E as pessoas que compraram o ingresso e mesas o que você tem a falar para elas?

Jackson Martins: Nesta segunda feira (21/11) reuniremos com os parceiros locais e ligaremos para o empresário de Zé Ramalho para agendar uma nova data para realizarmos o show adiado. Todas as providências foram tomadas. A banda passou o som no sábado a tarde e o artista já estava hospedado na cidade. Estava tudo pronto até acontecer a pane elétrica no gerador.

Diário do Jequi: E caso alguém não queira esperar por essa nova data, o que fazer?

Jackson Martins: Como a chuva forte ameaçava a realização do show, tivemos o cuidado de não recolher o ingresso para garantir todos os direitos possíveis para quem comprou o ingresso. No verso do ingresso tem uma clausula que fala sobre o procedimento em caso como este, que é a remarcação de uma nova data. Mesmo assim, estudaremos a possibilidade de reembolso financeiro para quem não puder comparecer na nova data que será marcada.

Diário do Jequi: Jacskon Martins, Gostaria que deixasse suas considerações finais:

Jacson Martins: Léo Rocha, nesses 23 anos que trabalho com produções artística, nunca dei prejuízo a ninguém. Sou do Vale do Jequitinhonha, e também morei em Almenara, tenho muitos amigos e pessoas que sabem do meu compromisso com a verdade e do meu profissionalismo. Trabalho com os principais nomes da música brasileira, Belchior, Elba Ramalho, Paulinho Pedra Azul, Paula Fernandes, Almir Sater, entre outros. Com Zé Ramalho tenho mais s de 13 anos de parceria. Semana passada, por exemplo, estivemos em Teófilo Otoni – MG com esse mesmo show que seria apresentado aqui em Almenara. Da mesma forma, meses atrás estivemos em Jequitinhonha – MG e tudo deu certo. Ressalto que a estrutura que tínhamos em Almenara foi avaliada em quase três milhões de reais. Só para se ter uma idéia, o curto circuito no gerador, queimou um aparelho que custa quase 180 mil reais, a função desse aparelho é proteger uma mesa de som avaliada em mais de um milhão de reais. Cito esses valores para que as pessoas entendam que tínhamos preparado a melhor estrutura de palco e som para receber o cantor e sua banda, além da estrutura de tendas para o público de Almenara e da região. Infelizmente, aconteceu esse imprevisto técnico devido a forte chuva que caiu no último sábado. Peço a todos uma compreensão nesse sentido e volto a dizer que o show não foi cancelado, o show de Zé Ramalho foi adiado. Em breve informaremos a nova data. Não sou estelionatário, nem ladrão. Quem me conhece sabe disso. Continuo hospedado no SESC LACES de Almenara e qualquer dúvida podem ligar para a Gerimun Produções , empresa responsável pelo artista Zé Ramalho, o telefone se encontra no site do cantor , www.zeramalho.com.br, ou podem procurar o gerente do SESC LACES de Almenara que essas informações serão confirmadas.

PS: No site do artista Zé Ramalho, no link recados, encontra-se uma nota sobre o adiamento do show:

" ADM DO SITE
RIO DE JANEIRO / RJ 20.11.2011 22:29


O SHOW DO ARTISTA ZÉ RAMALHO, QUE IRIA SE REALIZAR NO DIA 19/11/11, NA CIDADE DE ALMENARA (MG) NÃO OCORREU DEVIDO ÀS FORTES CHUVAS QUE CAUSARAM UM CURTO-CIRCUITO NA APARELHAGEM DE SOM E LUZ. O ARTISTA LAMENTA O FATO E PEDE DESCULPAS AOS FÃS QUE ESTAVAM PRESENTES NO RECINTO. ATT, ADM. DO SITE "

Fonte: Diário de Jequí

ZÉ RAMALHO APRESENTA CLÁSSICOS DE SUA CARREIRA PARA PÚBLICO DIFERENCIADO.

TEÓFILO OTONI – Apesar de o público ter esperado mais horas de show do cantor Zé Ramalho, que se apresentou por cerca de uma hora e meia no palco montado no ginásio coberto da sede campestre do Automóvel Clube, não há como deixar de elogiar o repertório, que desfilou clássicos de sua antologia musical e canções inesquecíveis dos anos 1970, como “Pra não dizer que não falei das flores”. Para finalizar se apresentou a banda teófilo-otonense de pop-rock, “Plataforma”.

Fonte: Diário de Teófilo otoni
(Foto: Raimundo Luiz)

domingo, 20 de novembro de 2011

Zé Ramalho no Raul Gil em 1984

Em 1984 Zé Ramalho lançava seu 6º disco pela gravadora CBS, o disco chamava-se Pra Não Dizer que Não Falei de Rock / Por Aquelas Que Foram Bem Amadas.

Uma das música de trabalho em rádios e TVs era DANÇA DAS LUZES, e foi ela que Zé cantou numa apresentação no programa de Raul Gil no SBT.



Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=LUSWHqWCO3I

Show em São Paulo 1998

Em 1998 a Musical FM de São Paulo promoveu vários show com grandes nomes da MPB, entre eles estava o nosso grande mestre Zé Ramalho que fez alguns shows no Memorial da América Latina e que tive a grande alegria de assistir todos!!!

Ao lado uma notinha da revista Veja ( 16/09/1998) anunciando a transmissão do Show gravado pela MusicalFM, que tambem tenho gravado aqui no acêrvo.

FOTOS DO SHOW DE ZÉ RAMALHO EM APIAÍ

No ultimo dia 29 Zé Ramalho esteve em Apiaí num grande show que emocionou todos que estavam presentes.

Clique aqui e confiram as Fotos:

terça-feira, 15 de novembro de 2011

CONFIRAM AS FOTOS DA APRESENTAÇÃO DE ZÉ RAMALHO NA SWU

Com vento forte e chuva, Zé Ramalho abre o segundo dia do festival SWU.

CLIQUE AQUI E VEJAM AS FOTOS!!!

Fonte: uol/Virgula

domingo, 13 de novembro de 2011

Em dia de veteranos, Zé Ramalho canta principais sucessos e agrada público

POR THALES DE MENEZES ENVIADO ESPECIAL A PAULÍNIA

Zé Ramalho, 62, estava visivelmente contente no show que abriu o segundo dia do SWU no palco Energia. Diante de um público mais maduro do que o do dia anterior, devido à escalação de veteranos como Lynyrd Skynyrd e Peter Gabriel, ele fez um show de músicas conhecidas de seu repertório. Deixou, assim, de priorizar seu trabalho mais recente, de regravações dos Beatles.

Todo de preto, começou a apresentação com sua versão muito pessoal de "O Que É, O Que É?", a canção de Gonzaguinha famosa pelos versos "Eu fico com a pureza da resposta das crianças/É a vida/É bonita e é bonita".

Depois, passeou pelo repertório de suas mais de quatro décadas de carreira. O público cantava junto e, a cada intervalo, clamava por "Admirável Gado Novo" e "Frevo Mulher".

A primeira delas foi recebida como hino. O público, dominado por fãs roqueiros do Lynyrd Synyrd, cantou com disposição o refrão "Ê, ô, ô, vida de gado/Povo marcado, povo feliz". Mantendo o pique, Zé Ramalho anunciou que cantaria duas canções de Raul Seixas.

Emendou "O Trem das Sete" com "Medo da Chuva", que foi cantada justamente na hora em que começava a chover em Paulínia.

No final, uma versão acelerada de "Frevo Mulher" fechou o show que deixou Zé Ramalho e a plateia bem satisfeitos.

Fonte: BOL NOTÍCIAS

Zé Ramalho traz chuva e forró ao SWU

"Veterano cantor paraibano faz plateia dançar ao som de velhos e misteriosos hits e de canções de Raulzito e Geraldo Vandré"

Por Jotabê Medeiros - O Estado de S. Paulo

PAULÍNIA - Foram-se as carinhas bonitas, os shortinhos e os topzinhos lycra-limão (como cantaria o Lucas Santtana), e sobrevieram os malucos-beleza, os fãs de Allman Brothers e Led Zeppelin, os coroas de rabo-de-cavalo e as loiras de novela do Dias Gomes. Saíram os gritos de guerra do tipo "make some noise" e "sai do chão" e entraram coisas indecifráveis como "é um terço de brilhante nos dedos de minha vó".

Era o sertão do Cariri que entrava em cena. Tocando músicas de dois mitos da MPB e do rock nacional, Geraldo Vandré (Pra não dizer que não falei das Flores) e Raul Seixas, e um pot-pourri de seus hits com mais de 30 anos nas costas, como Avôhai, Admirável Gado Novo, Taxi Lunar (dele e de Geraldo Azevedo) e Frevo Mulher, o veterano cantor paraibano Zé Ramalho trouxe a chuva e a alegria para o SWU.

O público começou se aproximando timidamente - afinal, eram três horas da tarde e o sol estava a pino, fritando ovo no capô de carro. Mas Zé Ramalho, todo de preto, foi vencendo a resistência progressivamente. "Agora vou cantar duas músicas de um colega de profecias", ele anunciou, e sobreveio Raul Seixas - Trem das Sete e Medo da Chuva.

Enquanto o público berrava o verso de Raulzito ("Eu perdi o meu medo meu medo meu medo da chuva"), a chuva principiava a cair sobre o SWU, e resfriava um pouco a sauna que o público já se acostumava a freqüentar no festival.

Zé Ramalho funde o pop tecladístico dos anos 1980 com o clássico trio de forró (zabumba, sanfona e triângulo), com um mergulho profundo na psique do pregador de feira nordestino. Sua inserção na música brasileira é estranha, é como se ele fosse um Dylan que não se alinha entre os diversos grupos (não é unânime na MPB universitária nem na MPB jazzística ou bossa-novística de lounge). Ainda assim, prossegue fazendo novos fãs e mantendo os velhos - muita gente imberbe na platéia berrava alucinadamente suas canções estranhas.

Fonte: ESTADÃO.COM.BR


Zé Ramalho faz show profético no SWU

Por Augusto Gomes, enviado a Paulínia

O cantor paraibano Zé Ramalho abriu a programação do segundo dia no palco principal do SWU pontualmente às 15h. Com uma versão de "O Que é, o Que é?", de Gonzaguinha, o músico foi bem recebido pela plateia que chegava ao festival.

Apesar de emendar outra cover, agora de "Pra Não Dizer que Não Falei das Flores", de Geraldo Vandré, o público empolgou quando o cantor começou a tocar canções de seu repertório, com destaque para "Avôhai", "Táxi Lunar" e "Admirável Gado Novo".

O ponto alto da apresentação foram as proféticas versões que o músico fez de Raul Seixas. Na primeira, "O Trem das Sete", a estrofe "Vê, ói que céu, é um céu carregado e rajado" foi dita no momento em que começava a garoar em Paulínia.

Já a segunda, "Medo da Chuva", foi tocada quando a chuva começou a cair no SWU, com ventos fortes que obrigaram os presentes a se proteger com capas de chuva.

Para encerrar o show, Zé Ramalho agradou a plateia e tocou "Frevo Mulher", música pedida pelo público em diversas ocasiões da apresentação.

Fonte: Ultimo Segundo

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Zé Ramalho: o “velho” está demais!!!

José Ramalho Neto, ou simplesmente Zé Ramalho, aos 62 anos, não sai de moda.

Uma multidão assistiu o paraibano no Centroserra, na noite deste sábado.

Por quase duas horas relembrou todos os seus sucessos, inclusive, com algumas impecáveis interpretações de músicas de Raul Seixas.

Ele prendeu o público e saiu daqui aplaudido de pé. Aliás, Lages e Região atenderam ao chamado e prestigiaram a promoção da Band.

O ídolo da voz rouca, com toda a simplicidade no palco, tem na voz e na sua guitarra, o que precisa para mostrar todo o carisma.


Fonte: Blog de Paulo Chagas Opinião

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Ringo Starr ganha tributo

Várias vozes reunidas num mesmo álbum e cantando composições mundialmente conhecidas pelo ex-baterista do The Beatles. É disso que trata Ringo! (Discobertas, R$ 19,90 em média). O álbum traz artistas como Zé Ramalho, que interpreta a canção ‘It Don't Come Easy'.

A cantora Taís Alvarenga também está presenta na obra com a faixa ‘I Wanna Be Your Man', originalmente composta por John Lennon e Pal McCartney. As bandas capixabas Vix Beatles e Club Big Beatles acrescentam à obra as músicas ‘Boy', ‘Honey Don´'t', ‘What Goes On' e ‘Act Naturally'.

'Yellow Submarine' ganhou versão em português, realizada por Albert Pavão ainda nos anos 1960. A obra, que nunca havia sido gravada, ganha vida agora através do grupo Vibraphones.

Ringo Starr chega ao País para série de apresentações. O músco começa a excursão brasileira dia 10 de novembro, em Porto Alegre. Em São Paulo, Ringo se apresenta no Credicard Hall nos dias 12 e 13. A turnê termina dia 20, em Recife.

Fonte: Diário do Grande ABC

domingo, 6 de novembro de 2011

Hoje tem Zé Ramalho em Jaraguá do Sul-SC



DIA 06 DE NOVEMBRO O GRANDE TEATRO SCAR DE JARAGUÁ DO SUL RECEBE UM DOS MAIORES NOMES DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA ZÉ RAMALHO TRAZENDO OS GRANDES SUCESSOS AO PALCO DESTE MAGNÍFICO TEATRO

INGRESSOS Á VENDA NO TEATRO SCAR FONE 47 3275 2477

VALORES R$ 150,00, 130,00 E 100,00 TODOS ELES DISPONÍVEL A MEIA ENTRADA

Fonte: Pancadão Sertanejo

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

ZÉ RAMALHO EM VITÓRIA-ES



Fonte: G1 Espírito Santo

ENTREVISTA COMPLETA

Zé Ramalho faz show em Camboriú-SC nesta sexta-feira 04/11/2011

A voz grave e potente de Zé Ramalho invadirá, mais uma vez, Santa Catarina. Os gestos fortes, porém discretos, de um maiores compositores e intérpretes da música brasileira poderão ser vistos nesta sexta-feira, a partir das 23h, no Maria's, em Camboriú. No set list, além das músicas do último CD autoral Zé Ramalho da Paraíba, de 2008, os fãs também ouvirão os grandes sucessos da carreira, como Avôhai, Chão de Giz e Admirável Gado Novo.

Ainda estão cotadas para fazerem parte do show músicas dos últimos três álbuns, em que canta Jackson do Pandeiro (2010), Luiz Gonzaga (2009) e Bob Dylan (2008). Como na maioria das apresentações, o repertório deverá ser bem eclético, mas sem deixar de lado a marca registrada de Zé Ramalho: o caráter nordestino de sua obra.

Garanta o seu ingresso
Os ingressos para o show em Camboriú estão sendo vendidos a R$ 50. Informações pelo telefone (47) 3360-8097 ou pelos e-mails camarotes@marias.com.br e reservas@marias.com.br ou pelo site www.ticketway.com.br.

Fonte: Hora de Santa Catarina


domingo, 30 de outubro de 2011

Zé Ramalho faz o show do ano em Almenara

Há uma grande expectativa em torno do show do cantor e compositor Zé Ramalho. O evento, sob a tutela de Jackson Martins, em parceria com o Sesc Laces/Almenara, acontece dia 19 de novembro, sábado, ocasião em que fãs do artista provenientes da região e de vários pontos do Brasil marcarão presenças.

egundo o organizador ,a procura por ingressos e mesas é bastante acentuada, projetando assim um expressivo público que deve lotar a quadra do Sesc. A próposito, o reflexo positivo do recente show de Zé Ramalho em Jequitinhonha, considerado de altíssimo nível, deu maior visibilidade ao projeto de Jackson Martins, um dos mais conceituados empresários do ramo artístico e cultural de Minas.

Os ingressos e mesas estão disponíveis no Boticário, e na Sapataria Marinho, em Almenara. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas na Secretaria do Sesc Laces/Almenara pelo telefone (33) 3721-1047.

Fonte: Diario de Jequi

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Zé Ramalho e Emicida são os últimos nomes anunciados pelo festival SWU

O SWU (Starts with you) fechou na quarta-feira o Line Up de músicos que movimentam seus quatro palcos musicais, em Paulínia, entre os dias 12 e 14 de novembro, em Paulínia, cidade a aproximadamente 120 quilômetros da Capital paulista. Os últimos dois a serem anunciados, entre as mais de 70 atrações, foram os do rapper Emicida, que sobe no palco Consciência no dia 12, às 15h, e o bardo paraibano Zé Ramalho, dono do pedaço no palco Energia, às 15h do domingo, dia 13. Os dois nomes foram anunciados pela banda Raimundos, incluída na lista por votação dos fãs.

Fonte: PERNAMBUCO.COM
Foto: Rafael Ohana/CB/D.A Press /Arquivo

domingo, 23 de outubro de 2011

Bandas Paraibanas do Passado: "Os Jets" e "Os Demônios"

Tudo começou por volta do ano de 1965, no Colégio Diocesano Pio X, na praça da Independência, em João Pessoa, Paraíba. Recém chegado do Colégio Pio XII, com o propósito de cursar a 3ª Série Ginasial, Roberto Lyra de Brito, logo fez amizades com vários outros alunos, inclusive a garotada da 4ª Série, dentre eles José Ramalho Neto, Alexandre Carneiro e Antonio Vitoriano Freire Filho.

Zé Ramalho e Alexandre Carneiro já participavam ativamente do Grêmio Estudantil do Colégio, tocando violão. O Irmão Eduardo, na época o responsável pelo Grêmio, promovia com muita dedicação e criatividade, a parte cultural das datas comemorativas e sempre que organizava as programações festivas, tencionava musicá-las, principalmente quando já se percebia pela cidade, uma febre de formação de conjuntos musicais unindo vários jovens de nossa melhor sociedade.

Nascia assim o conjunto musical “The Jets”, composto por Zé Ramalho (no violão solo), Alexandre Carneiro (violão rítmico) e, posteriormente convidados Roberto Lyra de Brito (no baixo e às vezes, gaita) e Antonio Vitoriano Freire Filho (na bateria). O conjunto se apresentava nas festinhas do colégio e fazia um enorme sucesso. O Brasil vivia o auge da Jovem Guarda e as músicas interpretadas pelos “The Jets”, misto de canções dos Beatles, dos Rolling Stones, de Renato e seus Blue Caps, dos Incríveis, de Deny e Dino, dos Vips e outros, fervilhavam nas mentes da garotada pessoense.


Os “JETS” em sua formação inicial, da esquerda para a direita: Antonio Vitoriano Freire Filho (na bateria), Alexandre Carneiro, José Ramalho Neto e Roberto Lyra de Brito (violões)

Os temperamentos fortes de Zé Ramalho e Alexandre Carneiro sempre viviam em confronto, até que um dia Alexandre deixou de vez o grupo, na véspera de uma apresentação. Os outros componentes correram atrás do prejuízo. Era difícil encontrar um substituto para o Alexandre Carneiro. Finalmente, descobriram um tal de “Mindoim”, que tocava muito bem violão e foram procurá-lo. Na verdade, o nome do cara era Jackson Guedes de Lima, tocava seresta e tinha pouca experiência com a música da jovem guarda. Mas, era um sujeito legal, se dispunha a aprender e então foi aceito no conjunto.

O conjunto então passou por uma série de reformulações, como por exemplo, a troca de violões por guitarras de fato. A de Zé Ramalho, o avô dele, Avohai, a deu; o baixo do Roberto Lyra, o triangular que foi do Floriano, de Os Quatro Loucos, sua mãe o presenteou; a de Jackson, como não havia condições boas de bancá-la, foi paga em suaves prestações aos membros de Os Quatro Loucos, por uma guitarra semi-nova, com os cachês que o conjunto ganhava; e a bateria do Toinho Freire, que antes era uma bateria secular do Colégio Pio X, seu pai comprou uma nova.


Os “JETS” em uma apresentação no Instituto de Educação da Paraíba (Escola de Formação de Professores), na Av. Camilo de Holanda, em 1966. Da esquerda para a direita: Zé Ramalho, Roberto Lyra (e seu baixo triangular) e Jackson Guedes

Mesmo apesar de ter uma instrumentação semi-nova, havia um problema: só havia um amplificador para as três guitarras. O som saía meio misturado. Os componentes do “The Jets” tocavam assim mesmo, até que um dia, foram comprados novos instrumentos: um baixo Giannini e um Tunder Sound – moderno amplificador para contra-baixo. Autores da compra: o pai do Roberto Lyra e o avô do Zé Ramalho.

O conjunto ficou muito melhor. Faltava um novo nome. Nascia assim “Os Demônios”. O novo conjunto tinha agenda cheia nos fins de semana, tocando nos principais pontos de encontros da juventude: Clube Cabo Branco, Clube Astréa, Clube da AABB, Clube dos Oficiais, “assustados” e nas mais variadas festas. Eram polivalentes no repertório, mas as músicas soladas eram as mais preferidas, como as gravadas pelos The Ventures, The Jet Blacks, The Jordans e outros conjuntos nacionais e internacionais. Zé Ramalho, tido como um ótimo solista demonstrava na guitarra, uma gama de efeitos regulares que já delineava seu estilo próprio.


“Os Demônios”, em um ensaio no terraço da residência do Dr. Antonio Vitoriano Freire, sito à Avenida dos Tabajaras. Da esquerda para a direita: Antonio Freire Filho, Jackson Guedes, Roberto Lyra e Zé Ramalho

Por causa de divergências internas, Roberto Lyra saiu do conjunto no final de 1967. Mesmo assim, continuou amigo de todos os demais membros de “Os Demônios”.

Ainda em 1967, entra para o conjunto, Marcos Ferreira, grande baixista que tinha saído de Os Gatos Pretos, conjunto musical nascido no bairro da Torre. O guitarrista Jackson Guedes também foi substituído; em seu lugar, entrou Cecílio.

“Os Demônios” inicia uma nova fase musical, participando ativamente do movimento da Jovem Guarda. Fizeram parte da delegação que se apresentou no Clube Internacional de Recife, levado pelo Presidente do Clube Cabo Branco, Fernando Milanez, nas festas de INTER-CLUBES; matinais do Cabo Branco; matinês do Clube Astréia; tardes domingueiras no SESC; Internacional de Cruz das Armas; Clube Santa Cruz, de Santa Rita; Clube Recreativo Guarabirense; Clube dos Oficiais do Grupamento de Engenharia e vários outros.

Posteriormente, o guitarrista Zé Ramalho abandonou o conjunto “Os Demônios” e foi integrar Os Quatro Loucos. Seu substituto foi o guitarrista Jovanni.


“Os Demônios” exibindo com orgulho seus novos instrumentais. Da esquerda para a direita: Roberto Lyra, Zé Ramalho, Antonio Freire Filho e Jackson Guedes.

Fotos:
Gentilmente cedidas do acervo familiar dos próprios componentes

Fonte: Blog do amigo Pedro Marinho

Show de Zé Ramalho em Teófilo Otoni, 18 de novembro.

Lady's Produções e Jackson Martins tem o prazer de trazer para Teófilo Otoni, como forma de resgatar raízes da música popular brasileira na região, o cantor Zé Ramalho, com a música de trabalho "Chão de Giz" que está estourando nas rádios brasileiras e encantando os corações dos apaixonados na novela INSENSATO CORAÇÃO¹ e outras músicas de sucesso do artista que marcaram a vida de muitas pessoas.
PARA TEÓFILO OTONI O MELHOR DA MÚSICA

Fonte: Mucury Cultural

Nota do blog: (1) Essa música é da trilha da novela Cordel Encantado, e não da novela INSENSATO CORAÇÃO.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Zé Ramalho é atração em novembro no Centro Cultural em Jaguará do Sul

"A noite de 6 de novembro reserva uma atração mais do que especial para os fãs de Zé Ramalho e ao público que aprecia música de qualidade".

U
m dos mais importantes compositores e intérpretes da MPB apresenta-se no Centro Cultural da SCAR e traz na bagagem sucessos consagrados ao longo da carreira.

A produção é da empresa Pancadão Sertanejo e os ingressos terão valores diferenciados de acordo com a localização no teatro: Área Vip - Fileira A até M = R$ 150,00 (inteira) e R$ 75,00 (meia); Platéia 1 - Fileira N até W = R$ 130,00 (inteira) e R$ 65,00 (meia); Platéia 2 - Balcão = R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia).Informações pelo telefone (47) 3275-2477.

Nascido em 3 de outubro de 1949, José Ramalho Neto é natural de Brejo da Cruz (PB). Sua vida artística começou como Zé Ramalho da Paraíba, cantando em conjuntos de baile inspirados na jovem guarda e no rock inglês.

O interesse pelos violeiros e pala literatura de cordel só surgiria depois, ao participar da trilha sonora do filme Nordeste: cordel, repente e canção, de Tânia Quaresma, em 1974. Por conta desse trabalho, Zé se mudou para o Rio de Janeiro (RJ), acompanhado por outros cantores nordestinos. Naquele mesmo ano, lançou seu primeiro disco, uma parceria com Lula Côrtes.

E é assim Zé Ramalho vem construindo sua obra, inspirada tanto na literatura de cordel e nos ritmos nordestinos quanto no cinema, nas histórias em quadrinhos, nos livros de ficção científica, nos seriados de TV, no rock e na mitologia, alinhavando tudo com seu jeito único decantar, como se estivesse narrando, e com suas composições que remetem a imagens.

Fonte: Diário do Vale


domingo, 16 de outubro de 2011

ZÉ RAMALHO NA GLOBO NEWS EM 14/10/2011

O grande mestre Zé Ramalho teve uma participação super especial no Jornal das Dez apresentado na Globo News.

Na entrevista Zé falou sobre os seus grandes sucessos e do modo como se inspira para compor suas canções.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Zé Ramalho e sua Caixa de Pandora

"Há três décadas ele conquistou seu espaço entre os mitos da MPB. Com sua figura singular e seu vozeirão marcante, se apresenta hoje em Cuiabá"

Por Martha Baptista
Da Reportagem

Faz tempo que Zé Ramalho está na estrada: desde o lançamento de seu primeiro álbum solo, que emplacou o sucesso “Avohai”, há três décadas, esse paraibano conquistou seu espaço no panteão dos mitos da MPB, com sua figura singular e seu vozeirão marcante.

Nesta sexta-feira, Zé Ramalho desembarca em Cuiabá com sua “caixa de Pandora” - um mito grego que narra a chegada da primeira mulher à Terra e, com ela, a origem de todas as tragédias humanas. A história de Pandora e sua caixa é longa e interessante: ao abrir o presente que continha todos os males do mundo, a primeira mulher conseguiu fechá-la antes que a esperança pudesse sair. Essa metáfora foi a maneira encontrada pelos gregos para representar conceitos relacionados à natureza feminina, como a beleza, a sensualidade e o poder de dissimulação e de destruição, de acordo com Fernando Segolin, professor de Literatura da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo.

Mas o que Zé Ramalho traz em sua “caixa de Pandora”? Em seu blog (www.blognotasmusicais.blogspot.com),o jornalista carioca Mauro Ferreira dá algumas pistas: “Em rotação pelo Brasil ao longo deste ano de 2011, o azeitado show ‘A Caixa de Pandora’ toma emprestado o nome do box de quatro CDs e um DVD lançado por Zé Ramalho em dezembro de 2010 com fonogramas raros de sua discografia. Contudo, o roteiro do show - que chegou ao Rio de Janeiro (RJ) na noite de 8 de outubro em eletrizante apresentação que encheu a casa Vivo Rio - é formado essencialmente por sucessos. A única exceção foi a pouco conhecida ‘Companheira de Alta Luz’ (Zé Ramalho e Fausto Nilo, 1998). O cantor e compositor paraibano deleita seu fiel público com banquete de hits próprios e alheios”.

O roteiro do show que será apresentado no Centro de Eventos do Pantanal esta noite inclui a interpretação bem pessoal do maior sucesso de Gonzaguinha, o samba “O que é, o que é”; “Caminhando” de Geraldo Vandré, o grande hino da geração que lutou contra a ditadura militar nas décadas de 1970 e 80; uma versão de uma canção do ícone da contracultura norte-americana, Bob Dylan, “Amanhã é distante”; e um clássico de outro ídolo da contracultura (desta vez, da brasileira), Raul Seixas: “Eu nasci há 10 mil anos atrás” (em parceria com o “bruxo” Paulo Coelho).

Da safra do próprio Zé Ramalho, serão interpretados “Avohai”, “Frevo Mulher”, “Admirável Gado Novo” e “Chão de Giz”, entre outros sucessos. Zé Ramalho apresenta-se no show acompanhado da Banda Z.

GRANDE ENCONTRO

Zé Ramalho ultrapassou a barreira de um milhão de discos vendidos, com o êxito fenomenal de “Entre a Serpente e a Estrela”, que fez parte da trilha sonora de uma novela da Rede Globo. Sua história com a dramaturgia televisiva sempre rendeu grandes frutos, incluindo o fenômeno de retornar às paradas de sucesso com uma mesma música, “Admirável Gado Novo”, incluída na trilha da telenovela global “O rei do gado”, conectando o artista à juventude brasileira e fazendo o CD da novela vender três milhões de cópias - um recorde que permanece inalcançável.

Ao lado dos amigos Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, Zé protagonizou em 1996, um dos projetos mais bem sucedidos da música brasileira, “O Grande Encontro”, que reuniu multidões nos shows em todo o país e gerou o lançamento de um disco ao vivo, vendendo mais de 500 mil. A continuação do projeto, rendeu outras duas turnês vitoriosas, um CD de estúdio e outro gravado ao vivo, que alcançaram a marca de 480 mi unidades, e Zé realizou ainda uma apresentação histórica no Rock in Rio 3, assistida por mais de 50 mil pessoas em 2001, junto com Elba Ramalho.

O álbum “20 anos – Antologia Acústica” é seu maior êxito comercial até hoje, com aproximadamente dois milhões de cópias vendidas e vencedor do Prêmio Sharp como melhor projeto gráfico. Este disco deu início a uma trilogia que seguiu com “Nação Nordestina”, um mapeamento da história musical e política da sua região natal, indicado ao Grammy Latino de melhor álbum regional e “Estação Brasil”, um passeio pelo cancioneiro nacional. (com assessoria)

SERVIÇO

O QUE: Show “A Caixa de Pandora” com Zé Ramalho e Banda

ONDE: Centro de Eventos do Pantanal

QUANDO: hoje (sexta-feira), às 23h30 (os portões abrem às 21h)

QUANTO: Venda de ingressos na Casa de Festas do Shopping Goiabeiras e da Galeria Itália, pelo site www.eritonbezerra.com.br ou pelo telefone (65) 3624 7200

Fonte: Diário de Cuiabá

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

ZÉ RAMALHO EM TEÓFILO OTONI - MG



Evento: Zé Ramalho
Data: 18 de novembro de 2011
Local: Sede Campestre do Automóvel Clube de Teófilo Otoni – 23:00 hrs


Fonte: h-dois.com

Mesmo com apagão, Zé Ramalho abre sua Caixa de Pandora em show no Rio



Nem o apagão que assolou o Vivo Rio e bairros do Rio de Janeiro abalou o ânimo de Zé Ramalho e a confiança de seus fãs no show “A Caixa de Pandora”, que apresentou na noite deste sábado (08/10). Com a casa lotada e ingressos esgotados, Zé abriu os trabalhos com “Táxi Lunar” e, já na segunda música do repertório, “Banquete dos Signos”, teve que interromper o festival de hits. Cerca de 20 minutos depois, um aviso em tom de locução ( “Pedimos desculpas, mas o Rio de Janeiro sofreu mais um apagão. Vamos continuar com nossos geradores”) e de uma piada feita pelo próprio, o músico paraibano voltou ao palco. “A explicação numérica foi essa, mas também pode ter sido um disco voador que sugou toda a energia”, declarou antes de entoar “A Terceira Lâmina”.

Na sequência, vieram vários sucessos. ”O Amanhã É Tão Distante”, parte da trilha sonora de “Araguaia”, veio seguida da música de abertura de “Pedra Sobre Pedra”, “Entre a Serpente e a Estrela”. Passado o momento novela, destacaram-se “Eternas Ondas”, “Avohai”, “Vila do Sossego”, “Chão de Giz” e “Garoto de Aluguel”. Mostrando que é cult para editores, mas pop para o povo, Zé Ramalho entoou “Admirável Gado Novo”. “O tempo passa e ela continua atual”, declarou o músico antes de iniciar o tema de “O Rei do Gado”.

Nem precisou um espertinho gritar “Toca Raul” na plateia, porque Zé incluiu no espetáculo uma homenagem ao “nosso grande Raul Seixas”. O pot pourri de “O Trem das Sete” com “Medo da Chuva” emocionou os fãs, que no bis ainda puderam ouvir “Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás”, do roqueiro baiano. O show terminou com “Frevo Mulher” e uma mensagem: “Pra vocês que fazem parte da massa, fiquem na paz”. No retorno ao palco, Zé ganhou coro da plateia em “Sinônimos”, gravada por Chitãozinho & Xororó e divulgada na trilha sonora da novela “A Favorita”.

No show do Vivo Rio, destaque para o cenário, com um mapa astrológico e a sombra de um homem, provavelmente o próprio Zé. Fora do palco, atenção ao box “A Caixa de Pandora”, que contém quatro CDs e um DVD com grandes sucessos do músico.

Fonte: Chis Fuscaldo, Garota FM

Foto: Marco Amarelo


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Zé Ramalho Ao Vivo Em Vitória

O cantor e compositor Zé Ramalho está de volta à Vitória(ES) no dia 1º de Novembro com seu supershow e seus grandes Sucessos... O show será na Arena Vitória Alvares Cabral.

A Arena Vitória foi toda montada com uma estrutura exclusiva para receber com qualidade e estilo que escolheram desfrutar desta que será uma noite inesquecível... Grandes sucessos como: Mistérios da Meia Noite, Avohai,Chão de Giz,Vila do Sossego, Admirável Gado Novo,Sinônimos,Terceira Lâmina,Entre a Sepente e a Estrela, Taxi Lunar,Bate na Porta do Céu e muito mais...

O show terá uma mega estrutura de Som, Luz e Telões... " ZÉ RAMALHO" UM MÙSICO,UM POETA, UMA VÓZ ÚNICA QUE VEM ENCANTANDO OS SEUS FÂS O BRASIL E O MUNDO Aproveite a véspera de feriado e desfrute o melhor da Música Popular Brasileira.


Atração: Zé Ramalho
Gênero: MPB, Forró
Local: Ginásio Álvares Cabral (Arena Vitória)
Endereço: Av. Mal Mascarenhas Moraes - 2100 - Vitória - Espí­rito Santo

Fonte: Sai do Sofá

sábado, 8 de outubro de 2011

Geraldo Azevedo e Zé Ramalho cantam no Rio neste fim de semana

Rio - Eles têm muito em comum: nascidos no Nordeste — Geraldo Azevedo em Pernambuco e Zé Ramalho na Paraíba —, são representantes da melhor música brasileira. E os dois cantam no Rio neste fim de semana. O primeiro lança novo DVD, ‘Salve São Francisco’, no Espaço Tom Jobim; e o segundo revisita a carreira no Vivo Rio.

Serviço:
ESPAÇO TOM JOBIM. Rua Jardim Botânico 1.008, Jardim Botânico (2274-7012). Hoje e amanhã, às 21h. R$ 80 (estudantes e maiores de 65 anos pagam meia). Livre. VIVO RIO. Avenida Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo (4003 -1212). Amanhã, às 22h. De R$ 70 (pista) a R$ 140 (camarote). 16 anos.

Fonte: O Dia Online

Filme sobre disco Paêbirú, de Zé Ramalho e Lula Côrtes, é projetado neste domingo no Cine São Luiz

Zé Ramalho faz sucesso em todo o Brasil e sempre canta músicas como Avohai, Frevo mulher, Admirável gado novo e Chão de giz, que ajudaram a fazer o nome do cantor paraibano a partir do final dos anos 1970. O que muitos de seus fãs não sabem é que, anos antes, Zé já estava na ativa e tinha até gravado disco, o mítico Paêbirú, parceria com Lula Cortês.

O álbum virou tema de documentário. Zé não quis participar (Paêbirú é um assunto que ele evita), mas aprovou sua produção. Lula Côrtes morreu sem assistir Nas paredes da pedra encantada, longa-metragem que investiga esse que é um dos mais raros discos brasileiros. O LP duplo Paêbirú — Caminho da montanha do sol (1975) é o primeiro disco a levar na capa o nome do compositor de Avohai. Músico, poeta e artista plástico pernambucano, Luiz Augusto Martins Côrtes morreu em 26 de março, aos 61 anos, em decorrência de um câncer na garganta. O filme ganhou sua primeira exibição pública em 30 de abril, em São Paulo, dentro da programação do In-Edit Brasil — 3º festival internacional do documentário musical.

O filme será projetado pela primeira vez em Pernambuco neste domingo, às 20h30, no Cine São Luiz, como parte da programação da mostra Play The Movie, do Festival Coquetel Molotov.

Dirigido por Cristiano Bastos e Leonardo Bomfim, o documentário, além de abordar a feitura do disco — conversando com vários dos envolvidos, como o cantor Alceu Valença, o cartunista Lailson de Holanda, o artista plástico Raul Córdula e a cineasta Katia Mesel — tem na figura de Lula seu fio condutor. E não teria como ser diferente. Com um carisma magnético, ele rouba a cena.

Rodado nas cidades pernambucanas de Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Recife, e nas paraibanas João Pessoa e Ingá do Bacamarte, Nas paredes da pedra encantada é um road movie que captura muito do espirito da época em que o disco foi feito, em plena efervescência do udigrudi pernambucano. Produzido com dinheiro do próprio bolso dos diretores (orçado em aproximados R$ 30 mil), o filme acompanha Lula de volta até a Pedra do Ingá, sítio arqueológico onde se encontram as misteriosas inscrições rupestres que inspiraram as letras do álbum — que apresenta em suas músicas uma rica combinação de ritmos nordestinos e rock psicodélico.

As premissas dos diretores resultaram em vários planos sequência, longos e detalhados depoimentos, que passeiam por temas como ecologia, arqueologia, contracultura, música e lisergia, permitindo ao espectador entrar na história sem pressa. “Queríamos que o filme respirasse, fugisse de edições frenéticas, de ritmo videoclíptico. E que tudo nele fosse novo, sem imagens de arquivo — até porque elas não existem —, mostrando o que a gente viu”, conta o jornalista gaúcho radicado em Brasília Cristiano Bastos. “A ideia não era apenas entrevistar, mas olhar as pessoas. Como o Pennebaker em Don’t look back, filmando detalhes dos personagens, um filme observador”, emenda o carioca Leonardo Bomfim, mestrando em comunicação morando em Porto Alegre, em referência ao documentário do diretor americano que captura Bob Dylan em 1965.

Registro vívido
Em alguns momentos, a limitação financeira da produção surge na tela, mas isso não interfere em seu encanto justamente pela riqueza das imagens e das falas dos personagens. Há depoimentos divertidíssimos, como Lula contando como pediu Katia (sua mulher na época) em casamento ou o avistamento de elefantes em pleno sertão paraibano. Em Ingá do Bacamarte, onde se localiza a pedra, os moradores dão versões ingênuas e hilárias para a origem das inscrições. Além da natureza, a música exerce grande força no documentário. O próprio Paêbirú serve de trilhas sonora, mas foram feitas cenas musicais exclusivas. Em uma delas, Lula e seu tricórdio (espécie de cítara popular marroquina, instrumento que ele dominava e está por todos os quatro lados do LP) acompanham, em espontânea sintonia, Alceu Valença em uma música inédita do compositor de Tropicana e Coração bobo.

Em um dos depoimentos, Lula fala sobre o futuro, a vontade de construir uma nova casa no terreno que ganhara de um amigo. O músico se foi, mas permaneceu seu legado. E com Nas paredes da pedra encantada, permanece também um registro vívido desse incrível personagem da música brasileira.

Programação da Mostra Play the Movie:

SÁBADO – 08/10
17h – Sessão de fil­mes sele­ci­o­na­dos por Marcelo Gomes: “Cinema, Aspirinas e Urubus”
19h — Filme: “Gretchen Filme Estrada“
21h — Filme: “Explosão Brega”

DOMINGO — 09/10
17h — Sessão de fil­mes sele­ci­o­na­dos por Marcelo Gomes: “A Alma do Osso”
18h30 – Filme: “Daquele Instante em Diante“
20h30 – Filme: “Nas Paredes da Pedra Encantada”

Fonte: Diario de Pernambuco

Com informações de Pedro Brandt, do Correio Braziliense

Zé Ramalho realiza show em Rondonópolis e Cuiabá no MT.

Com milhões de discos vendidos, 30 anos de carreira e mais de uma centena de sucessos para levar na bagagem o cantor e compositor Zé Ramalho chega a Mato Grosso. Depois de um tempo longe dos palcos mato-grossenses o músico traz sua Tour 2011 “A caixa de pandora” as cidades de Rondonópolis e Cuiabá nos dias 13 e 14.

Para os fãs dos grandes sucessos do poeta, não vão faltar motivos para comemorar. O show que inclui sucessos como Avohai, Chão de giz, e Garoto de aluguel traz ainda releituras de grandes nomes da música popular brasileira tais como Raul Seixas e Gonzaguinha.

No palco Zé Ramalho é conhecido pela sua personalidade marcante e pela intensidade de sua poesia, para as apresentações no Estado o artista conta com a experiência e com o talento da Banda Z que tem Chico Guedes no contrabaixo, Edu Constant na bateria, Dodô de Moraes nos teclados, Toti Cavalcanti nos sopros e Zé Gomes na percussão.

Os shows de Cuiabá e Rondonópolis estão sendo trazidos pela Eriton Bezerra Produções que garante que além do espetáculo cultural os participantes do evento poderão contar com todo conforto e infraestrutura necessária para que a noite seja inesquecível.

Em Rondonópolis a apresentação será no dia 13 de outubro, no Caiçara Tênis Clube e em Cuiabá no dia 14 de outubro no Centro de Eventos Pantanal.

Fonte: O Documento

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

OS QUATRO LOUCOS.

A banda "Os quatro Loucos" que, talvez tenha dado início a esse movimento de jovem guarda, em terras paraibanas. Formada inicialmente pelos irmãos da família Miranda, Floriano e Golinha (falecido), além de Cecílio (falecido) e Vital Farias.

Em sua segunda formação, integraram-se à banda os guitarristas José Ramalho e Dedé, além do tecladista Diágoras Júnior.

Fotos:

Em pé, da esquerda para à direita: Zé Ramalho, Diágoras Júnior e Floriano Miranda; na frente, Golinha Miranda (foto de Ivete Ramalho).


Da esquerda para à direita: Floriano, Golinha, Roberto Carlos, Zé Ramalho.


Da esquerda para à direita: Golinha, na bateria; Dedé, Zé Ramalho e Floriano Miranda, no baixo.

Fonte: Blog do Pedro Marinho

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Show do cantor Zé Ramalho no Vivo Rio

O paraibano José Ramalho fará o show relembrando antigos e atuais sucessos de sua extensa carreira. Com mais de 20 CDs lançados, Zé é um dos pioneiros da música nordestina brasileira.

Serviço:

Show: Zé Ramalho

Local: Vivo Rio

Endereço: Av. Infante Dom Henrique 85 – Aterro do Flamengo

Data: 8 de outubro de 2011

Horário: 22h

Ingresso:variam de R$70 a R$140

Classificação indicativa: 16 anos

Informação: (21)2272.2902


Fonte: Manchete Online

O trovador Zé Ramalho segue firme pelos palcos brasileiros há mais de 30 anos

Zé Ramalho está na estrada. Tal notícia vem fazendo a alegria de milhões de brasileiros há mais de três décadas, desde o lançamento do primeiro álbum solo do artista paraibano que emplacou de cara o hino “Avohai”. Zé traçou uma ponte que unia Pink Floyd e Beatles a Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, entre tantos outros. Cidade grande e sertão, psicodelismo e regionalismo, o Nordeste inserido no mundo, o universo conectado ao Nordeste. Um trovador urbano comparado por muitos aos ícones da música mundial.

Zé Ramalho ultrapassou a barreira de um milhão de discos vendidos, com o êxito fenomenal de “Entre a Serpente e a Estrela”, que fez parte da trilha sonora de uma novela da Rede Globo. Sua história com a dramaturgia televisiva sempre rendeu grandes frutos, incluindo o fenômeno de retornar às paradas de sucesso com uma mesma música, “Admirável Gado Novo”, incluída na trilha de O REI DO GADO, conectando o artista à juventude brasileira e fazendo o CD da novela vender nada menos do que três milhões de cópias, um recorde que permanece inalcançável.

Ao lado dos amigos Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, Zé protagonizou em 1996, um dos projetos mais bem sucedidos da música brasileira, O GRANDE ENCONTRO, que levou multidões aos shows em todo o país e gerou o lançamento de um disco ao vivo, vendendo mais de 500.000 cópias. A continuação do projeto, rendeu outras duas “turnês” vitoriosas, um CD de estúdio e outro gravado ao vivo, que alcançaram a marca de 480.000 unidades, recebendo o disco de ouro e o de platina e, Zé realizou ainda uma apresentação histórica no ROCK IN RIO 3, assistida por mais de 50 mil pessoas em 2001, junto com Elba Ramalho.

O álbum 20 ANOS – ANTOLOGIA ACÚSTICA é seu maior êxito comercial até hoje, com aproximadamente dois milhões de cópias vendidas e vencedor do Prêmio Sharp como melhor projeto gráfico. Este disco deu início a uma trilogia que seguiu com NAÇÃO NORDESTINA, um mapeamento da história musical e política da sua região natal, indicado ao Grammy Latino de melhor álbum regional e, ESTAÇÃO BRASIL, um passeio pelo cancioneiro nacional. Zé Ramalho ainda homenageou Raul Seixas, gravou seu primeiro cd ao vivo, lançou o inédito O GOSTO DA CRIAÇÃO e convidou amigos para participar do CD e DVD PARCERIA DOS VIAJANTES.

Entre 2008 e 2010 vieram os lançamentos da série Zé Ramalho canta com : Zé Ramalho canta Bob Dylan, esse indicado para o premio Grammy Latino, depois Zé Ramalho canta Luiz Gonzaga e no mesmo ano ainda Zé Ramalho canta Jackson do Pandeiro...E o mais recente lançamento da série, Zé Ramalho canta Beatles.
A tour 2011 traz Zé Ramalho revisitando alguns de seus maiores êxitos que venderam milhões de discos, mantendo o respeito da crítica especializada, em rara unanimidade. “Avohai, Frevo Mulher, Admirável Gado Novo, Chão de Giz, Beira-Mar, Eternas Ondas, Garoto de Aluguel, Vila do Sossego e Banquete de Signos” são apenas algumas das inúmeras pérolas que Zé Ramalho lançou e riscam o Brasil de Norte a Sul, derrubando fronteiras e provando que a grande música é universal. Todas estão presentes no novo show, que traz ainda releituras de Raul Seixas e Geraldo Vandré já gravadas por Zé, como “Eu Nasci a Dez mil Anos Atrás” e “Caminhando”, assim como “O que é o que é” de Gonzaguinha e “Distante companheira de Alta Luz”, entre outras surpresas, que se encontram no seu mais novo lançamento, “A Caixa de Pandora”.

Seja qual for a jornada, o público sabe que quem a conduz é um dos artistas com a personalidade mais marcante da música popular brasileira. Com sua voz inconfundível e sua poesia apocalíptica, Zé Ramalho escreveu, escreve e continuará escrevendo seu nome na história musical brasileira, seguindo feito um viajante pelas estradas do país, arrastando multidões por onde quer que passe. Há mais de 30 anos, o brasileiro sabe que assistir Zé Ramalho ao vivo é uma experiência única em uma espécie de pacto de fidelidade que se renova ano a ano.


Fonte: 24 Horas News

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Hoje é o Aniversário do Mestre Zé Ramalho!!!

Em 03 de Outubro de 1949 nascia esse grande mestre da musica popular brasileira.

Zé continua com uma forma extraodinária, cantando e encantando todos as classes sociais com sua bela música.

Esperamos que ele continue assim por muitos e muitos anos, pois quem ganha presente nesta data tão especial não é ele, e sim os seus milhões de fãs.

Parabens meu mestre, muita saúde e paz pra você e família.




" Toda pessoa merece felicidade
Uma vontade danada de bem viver
O mundo é bom quando se for entender
Que tudo vinga quando se pode querer"

Um Pequeno Xote.
Zé Ramalho
Foto: Mario Luis Thompson

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Hoje Tem Zé Ramalho em BH

"Cantor toca sucessos próprios e releituras de Raul Seixas e Geraldo Vandré"

Quem não se lembra de Avohai, Frevo mulher, Admirável gado novo, Chão de giz e Garoto de aluguel? Músicas que ficaram marcadas na memória de várias gerações e que serão apresentadas hoje pelo compositor e cantor Zé Ramalho (foto), em show às 23h, no Chevrolet Hall (Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro).

Além dos grandes sucessos do artista, a apresentação inclui ainda releituras de Raul Seixas e Geraldo Vandré. Ingressos para pista, R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), 1º lote. Mesa com quatro lugares, R$ 550, 2° lote. Informações: (31) 3209-8989.

Fonte: Divirta-se Wai

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ZÉ RAMALHO EM BH DIA 30/09/2011

O cantor e compositor Zé Ramalho faz única apresentação no Chevrolet Hall, em Belo Horizonte, sexta-feira, 30. Com milhões de discos vendidos, o paraibano está na estrada relembrando grandes sucessos de sua carreira.

Conhecido pelo seu estilo que mistura cidade grande e sertão, psicodelismo e regionalismo, tudo isso com um toque nordestino, Zé Ramalho é comparado pela crítica a grandes nomes da música mundial. Um dos mais renomados é Bob Dylan, que foi cantado pelo trovador urbano no disco Zé Ramalho canta Bob Dylan, indicado ao Grammy Latino 2009 na categoria Melhor Disco de Rock.

No palco, Zé Ramalho conta com a presença da talentosa Banda Z, que tem Chico Guedes no contrabaixo, Edu Constant na bateria, Dodô de Moraes nos teclados, Toti Cavalcanti nos sopros e Zé Gomes na percussão.

Fonte: Jornal O Norte de Minas

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Especial de Zé Ramalho na FM Inconfidência.

Pessoal no ultimo dia 25/09/2011 foi apresentado pela FM Inconfidêcia um super especial do mestre Zé Ramalho.

Com uma ótima seleção musical o programa Perfil da MPB comandada pelo apresentador Marcio Ronei foi um grande sucesso.

Se vc perdeu, o Acêrvo mostra pra você!!! Clique Aqui e curta o nosso grande mestre Avôhai no especial da Radio Inconfidêcia!!!




Foto: Mario Luis Thompson

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Zé Ramalho no Vivo Rio

O cantor Zé Ramalho apresenta o show “Caixa de Pandora”, na próxima sexta, dia 8, no Vivo Rio. No repertório do show, o artista revisita sucessos de carreira como “Avôhai” ,“Chão de giz” e “Admirável gado novo”.

Para concorrer a convites, acesse o link abaixo ou concorra via SMS enviando uma mensagem de texto para 49810 com a palavra MPB seguida da palavra . (A tarifa do sms é de R$0,31 + impostos).


Vivo Rio
Sábado, dia 8 de outubro às 22h
Avenida Infante Dom Henrique, 85 – Aterro do Flamengo
Informações: 4003-1212
Classificação 16 anos

Clique Aqui e concorra a convites

Fonte: MPB Brasil